Música

Tom Waits – Martha

Telefonista, número, por favor: fazem tantos anos
Será que ela lembrará da minha velha voz
enquanto eu combato as lagrimas?
Oi, olá, é a Martha? É o velho Tom Frost
Eu estou ligando interurbano, não se preocupa com o custo
Porque já faz uns quarenta anos, agora, Martha, por favor, retorne a ligação. Me encontre em um café, e vamos conversar sobre a vida

E esses eram os dias de rosas, poesia e prosa
E tudo o que eu tinha era você e tudo que você tinha era eu.
Não havia amanhã, a gente embalava as mágoas
E as guardava pros dias de chuva

E agora me sinto tão velho e você mais velha também
Como está o seu marido? E as crianças? Você sabe que eu casei também
Sorte sua achar alguém para fazer você se sentir segura
Porque nós éramos tão jovens e estúpidos, agora estamos maduros

E esses eram os dias de rosas, poesia e prosa
E tudo o que eu tinha era você e tudo que você tinha era eu
Não havia amanhã, a gente embalava as mágoas
E as guardava pros dias de chuva

E eu era sempre tão impulsivo, eu acho que continuo sendo,
E tudo o que realmente importa é que eu era um homem.
Eu acho que o nosso estar junto nunca foi para ser.
E Martha, Martha, eu te amo você não consegue ver?

E esses eram os dias de rosas, poesia e prosa
E, Martha, tudo o que eu tinha era você e tudo que você tinha era eu
Não havia amanhã, a gente embalava as mágoas
E as guardava pros dias de chuva.

(Canção de Tom Waits)

Sobre o autor

Adriel Dutra

Adriel Dutra

Tem formação em psicologia, mas antes de tudo é formado pelos amores e desamores que vive, pelos livros, pelas músicas, pelos autores, pelos filmes, pelas poesias e pela arte que o fizeram, principalmente, sentir. Tem como hobbie ficar observando detalhes que ninguém costuma ver, encontra-se beleza demais nessas frestas.