Literatura

Delicadezas de um rosto malvado

Sasha Grey

Os fiapos de delicadeza no rosto malvado de uma donzela, um rosto bruto talhado por uma lânguida meiguice. Crueldade doce e sem sofrimento, vida nua e crua em todo o seu frescor. Quanta coisa pode um rosto! Um voyeurismo trágico é o que faz o suicídio não valer a pena para os nietzschianos que veem no amor fati um ato de desespero para gargalhar diante da dor e do desprazer como atos predominantes testemunhados por um universo vazio e indiferente. O que seria sem os labirintos femininos se no campo social impera o horror? A beleza impede que muitos homens saltem com a corda amarrada no pescoço.


Foto: Sasha Grey

Sobre o autor

Adriel Dutra

Adriel Dutra

Tem formação em psicologia, mas antes de tudo é formado pelos amores e desamores que vive, pelos livros, pelas músicas, pelos autores, pelos filmes, pelas poesias e pela arte que o fizeram, principalmente, sentir. Tem como hobbie ficar observando detalhes que ninguém costuma ver, encontra-se beleza demais nessas frestas.